terça-feira, 19 de agosto de 2014

ARPA PROTOCOLA PEDIDO DE INSTAURAÇÃO DE PROCESSO ÉTICO DISCIPLINAR CONTRA O VER. ALVACIR PRESTES (PT)



Foto: Protocolo realizado pelos integrantes da ARPA/MPA junto a Presidência da Casa

Entenda o caso:

Todos com certeza envolvida em nossa politica municipal devem estar lembrados das últimas eleições, muitos pela vitória surpreendente da coligação PT/PTDT/PSB/PRB e  com uma grande diferença de votos para o segundo colocado o candidato da situação Papança. Mas não só isso marcou o pleito, teve ainda a desistência do primeiro candidato  a se lançar pela coligação PMDB/PSDB, a saída por motivo de força maior do candidato a Vice na coligação PT/PDT as idas e vindas do PSB.  Mas certamente o que mais marcou o pleito municipal foi a denúncia entre companheiros de partido, neste caso integrantes do PT, que denunciaram o próprio companheiro em, digamos “ falcatrua eleitoral”  o que resultou em processo e posteriormente a cassação do candidato a vereador e perda dos direitos políticos por oito anos. De lá pra cá o denunciante, que também era candidato a vereador e ficou com a 1ª suplência da coligação acabou assumindo uma cadeira no Poder Legislativo, por conta de convite feito pelo Prefeito ao titular da cadeira Ver. Néviton Norenberg para assumir uma Secretaria Municipal.
Pelo lado do denunciante, decorridos quase dois anos, após a eleição a vida corria de certa forma tranquila, Vereador atuante, combativo e atual líder do Governo na Câmara, só que do lado do denunciado, terminado o pleito, começou uma luta incansável na busca de sua reabilitação perante a comunidade a qual foi desencadeada com a  apresentação na delegacia de policia de um completo dossiê a respeito das ações do atual Vereador quando membro de um movimento social com base em nosso município, as denuncias vão de improbidade administrativa a desvio  de  verbas públicas destinadas a entidade pelo governo.



E nesta terça feira( 19/08) Presidente do Poder Legislativo de Canguçu, recebeu uma Comissão do movimento ARPA solicitando a instauração de processo ético disciplinar contra o Ver. Alvacir Matias Prestes o Formiga (PT) em razão de o mesmo estar sendo objeto de investigação através de queixa crime protocolada sob nº IP 534/14 2º Cartório na Delegacia de Canguçu.Também com relação ao mesmo Vereador saiu o resultado de um processo na justiça em que o mesmo teria sido condenado e isso seria mais um motivo para sua cassação: transcrevo aqui a decisão Quarta Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Estado do Rio Grande do Sul, condenou o Vereador Avacir Matias Prestes - conhecido como Vereador "Formiga" a uma pena total de três (3) anos de reclusão; pagamento de multa de 30 (trinta) dias-multa, à razão de 1/30 (um trigésimo) do salário mínimo, prestação de serviços à comunidade e interdição temporária de direitos, prevista esta, no art. 47, inciso II, do C. Penal, consistente em proibição de exercer atividade política.  

Após a denuncia aguarda-se os desdobramentos do caso, em entrevista ao Repórter Geraldo Dannenberg o Ver. Formiga argumentou que quanto ao processo da decisão Quarta Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Estado do Rio Grande do Sul,já recorreu ao Supremo e afirmou que não perderá seus direitos políticos, e quanto ao pedido de instauração de processo ético disciplinar o Ver. já pediu cópia do mesmo para então tomar as providências cabíveis e pronunciar-se no momento oportuno.

Foto: Repórter Geraldo Dannenberg e o Ver. Formiga (PT)