quarta-feira, 24 de setembro de 2014

PARABÉNS A ESCOLA CARLOS SOARES DA SILVEIRA


Foto Site Prefeitura: Escola Carlos Soares da Silveira


Resgatar a história da cultura local, tendo a memória como instrumento de pesquisa. Esse foi o ponto de partida para um projeto desenvolvido na localidade de Nova Gonçalves, 2º distrito de Canguçu. Uma das idealizadoras da iniciativa é a professora Patrícia Kern. Formada em Pedagogia, seu trabalho de conclusão do curso abordou as Festas do Colono realizadas no município. Depois, já na escola Carlos Soares da Silveira, ela decidiu ampliar o projeto e tratar sobre a cultura pomerana.

– Resolvi dar sequência em função da minha pesquisa e, principalmente, para estreitar os laços entre a escola e a comunidade local – conta.

A iniciativa foi premiada na última quinta-feira (18), quando estiveram em Canguçu o assistente técnico da Famurs, José Carlos Martins, e a consultora cultural da Unesco, Carla Pinheiro, que atuou como avaliadora dos projetos concorrentes.

O Prêmio

A 4ª edição do Prêmio Cultura Famurs/Codic premiou ações culturais desenvolvidas pelas administrações municipais que tenham implantado ou executado projetos de estímulo ao desenvolvimento da cultura local ou regional. O prêmio se divide em nove grupos e Canguçu foi vencedor da categoria Museus, Patrimônio e Memória.

O projeto

A iniciativa – A Cultura local Reinventando o Currículo Escolar – busca promover uma ação educativa voltada à valorização da identidade do aluno na família, na escola, na comunidade e na sociedade dentro da perspectiva de construção de uma espaço de memória. O objetivo é que este espaço construído por todos possa concretizar o registro e a preservação do patrimônio cultural pomerano.

O projeto canguçuense conquistou o primeiro lugar entre os 497 municípios gaúchos. O trabalho inclui uma pesquisa realizada pelos estudantes em busca das origens de sua região e de seus antepassados. A cultura, os objetos, o patrimônio imaterial difundido nos costumes, o artesanato, a culinária típica da região, os gostos e saberes que formam um multifragmentado cenário rural. Tudo isso é tema de interesse para os curiosos olhos juvenis que constroem o conhecimento. No meio do caminho os estudantes se encontram na própria história que pesquisam.

A escola realiza visitações a museus, propriedades rurais e taperas. Nessas moradias abandonadas foram encontrados objetos que, com o consentimento dos atuais proprietários, passaram a fazer parte do acervo do museu que a escola está construindo. Com o apoio da museóloga Vanessa Teixeira, da FURG, os alunos iniciaram uma atividade prática em turno inverso, manuseando os objetos doados pela comunidade. O trabalho consiste em catalogar dados referentes à história de cada artefato adquirido.

Os monitores voluntários aprendem sobre limpeza e catalogação das peças. A escola ainda não tem um espaço adequado para expor os materiais adquiridos, porém este é o próximo objetivo da comunidade de Nova Gonçalves. Enquanto esperam (e lutam) pela conquista do sonho, os monitores e professores participam de mostras periódicas, apresentando parte do trabalho realizado pelo grupo.

A premiação

O projeto canguçuense recebeu um troféu e R$ 2,5 mil como prêmio pelo primeiro lugar no concurso. A entrega foi realizada em dois momentos: na escola e no Ginásio Municipal, durante o Entrevero Farroupilha.

– Se vocês não tivessem começado este resgate, para onde iria este material que tem 100 anos ou mais e que foi encontrado pela comunidade e pelos alunos? É importante que esse trabalho inspire outras pessoas a tomarem iniciativas semelhantes – avaliou o representante da Famurs, José Carlos Martins.

Valorizar a diversidade étnica e contribuir para o resgate cultural de cada povo formador do município. Esta é, na opinião do prefeito Gerson Nunes, uma das tarefas da administração municipal. O gestor visitou a escola e recebeu, juntamente com a diretora Márcia Kern, o prêmio da Famurs.

Para a consultora da Unesco e avaliadora do concurso, Carla Pinheiro, uma das características importantes na avaliação foi a originalidade do projeto.

– Esse é um grande diferencial para que essa iniciativa abra novos caminhos – avaliou.
Fonte: Site da Prefeitura Municipal - http://www.cangucu.rs.gov.br/index.php